quarta-feira, 30 de março de 2016

Configuração de um Crime

     O que configura um crime no nosso País?
     A impressão que eu tenho é que ser a minoria (ou melhor, a maioria com minoria de direitos) configura um crime.
     E nem estou falando agora de política, nem da Comissão de Impeachment que será julgado por Eduardo Cunha.

     Em 9 de dezembro de 2015 um homem, da área nobre de Brasília, foi preso após a Polícia Civil receber vídeo dele molestando uma criança, parente dele, após algumas horas foi solto ao pagar fiança de R$ 10.000,00. Responde em liberdade, pois não é um crime hediondo.
     Em 22 de março deste ano uma jovem foi assediada no metrô durante 9 estações e ouviu do segurança que a culpa era dela, pois estava usando vestido logo cedo.
     No mesmo dia um homem me seguiu na cidade, dando pelo menos 10 voltas ao redor da praça da cidade enquanto eu tentava me esquivar dele onde o movimento estava maior, depois de mais de uma semana que eu tento pegar meu B.O. hoje fui informada pela Polícia Militar da cidade de Caldas que não configura em crime, afinal ele não fez nada, estava apenas "passeando".

      E assim caminhamos com Boletins de Ocorrências sendo negado o registro, afinal eu fui esperta suficiente para o cara não me estuprar, caso fosse a intenção dele, a moça do metrô estava de vestido de manhã e a pobre coitada da criança, era só uma criança e não foi flagrante.
     O que temos em comum neste cenário todo? (E agora eu incluo um impeachment que não tem embasamento jurídico), todos contra mulheres, todos afrontam o sexo forte e dominante, enquanto ignoram as estatísticas e deixam soltos os caras por não configurar crime.
     Para que se saiba: A cada 5 minutos uma mulher é agredida no Brasil, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil e a cada 15 minutos uma mulher é morta no Brasil por alguém conhecido.
     Então deixo aqui um ponto para reflexão: Será que as estatísticas diminuiriam caso os Boletins de Ocorrência fossem realmente levados a sério e os oprimidos não fossem visto como opressores pelo simples fato de não ter ficado de boca calada?

2 comentários:

Thais Vecino disse...

Infelizmente esse é o cenário atual de nosso país! Temos que andar com medo nas ruas caso algum psicopata queira saciar suas vontades em nós mulheres, que não podem andar vestidas como querem, andar tarde da noite na rua, apenas ANDAR. Quem disse que somos livres? Somos prisioneiras e escravas de uma sociedade machista.....
Belo texto Carol! s2

Charlene Cheron disse...

Texto muito bom Carol. Ja pensei muito sobre o assunto...ja pensei muitas vezes em morar fora, me vejo que seria mais uma a fugir. Penso que esta luta ainda eh muiiito longa. Nao sei se realme.te havera alguma mudança algum dia pois envolve tantas coisas...so nos resta lutar com as armas que conhecemos, a prece, e lutar para nos manter viva.